Histórias e conversas de mulher

capa
Publicado pela Planeta em 2014, Histórias e conversas de mulher, da historiadora e professora Mary Del Priore, didaticamente expõe como era a vida das mulheres brasileiras desde o século XVIII até a atualidade. Para quem gosta de história e tem interesse em aprender um pouco mais acerca da vida feminina, o livro é uma boa opção.
1
Os pronomes demonstrativos indicam a relação de um termo com outros no tempo, no espaço e no texto. Ainda que ESSE e AQUELE indiquem tempo passado, ESSE é usado para um passado próximo e AQUELE, para um passado mais distante. O correto deveria, portanto, ser NAQUELA ÉPOCA, já que a autora fala de um momento deveras distante em relação ao tempo em que a história é contada.
2
O vocativo serve para evidenciar a pessoa ou coisa a que nos dirigimos. No caso, “Milu” deveria estar separado da oração por vírgula.
3
CONFINAR, no sentido de limitar, circunscrever, isolar, é transitivo direto e seu complemento (objeto direto) não pode ser substituído pelo pronome LHE (confinou-a). O outro erro se refere a AVISAR: aviso alguma coisa a alguém ou aviso alguém de alguma coisa. Assim, a construção acima conta equivocadamente com dois objetos indiretos – o correto seria avisando à esposa que ou avisando a esposa de que.
4
POR QUE separado e sem acento é utilizado em frases interrogativas, quando equivale a motivo, causa ou razão, ou quando puder ser substituído por pelo qual, pelos quais, pela qual, pelas quais. PORQUE junto e sem acento se usa quando é introduzida uma explicação, o que acontece na frase acima.
histórias e conversas de mulher
A colocação do pronome oblíquo átono antes do verbo (próclise) deve acontecer sempre que nos depararmos com a conjunção QUE – no caso acima, QUE atrai o pronome átono A (que a obrigam).
7
Na frase acima, IMPRIMISSE refere-se ao substantivo MÃES, que está no plural. Assim, o verbo também deveria ter sido conjugado no plural (imprimissem).
8
Dizemos que uma coisa se soma A outra, pois o verbo SOMAR é bitransitivo. Acima, falta a crase no início da frase (às palavras francesas somavam-se outras em inglês).
9
SEQUER é uma palavra só. Trata-se de advérbio que significa ao menos ou pelo menos.
10
NÃO NECESSARIAMENTE é expressão que significa ausência de certeza em relação a alguma coisa e deve ser escrita sem vírgula entre as palavras.
11
Segundo o Acordo Ortográfico vigente, podemos escrever nomes que designam domínios do saber, cursos e disciplinas com inicial maiúscula ou minúscula. Para que um texto fique harmônico, a padronização deve ser a regra, sob pena de, como no exemplo acima, correr-se o risco de considerar um curso melhor ou mais importante que o outro.

 

cropped-header-blog_branco.png

Primeiro mataram meu pai

capa
Primeiro mataram meu pai conta a história de Loung Ung e sua trajetória para escapar do regime do ditador Pol Pot, no Camboja. A obra inspirou o novo filme dirigido pela atriz Angelina Jolie, que está em cartaz no Netflix (fonte: omelete.com.br). O livro foi publicado em 2017 pela Harper Collins.
1
O verbo PREFERIR significa dar preferência a alguma coisa, e quem prefere prefere uma coisa A outra. A sintaxe PREFERIR MAIS é comum na oralidade, mas não deve ser aplicada na linguagem escrita.
4
RACIONAR significa poupar, diminuir, restringir. Se dizemos que o racionamento foi reduzido queremos dizer que a quantidade de alguma coisa aumentou. Acima a autora quis dizer que o fornecimento de comida diminuiu tanto que ela e os irmãos praticamente não tinham o que comer.
5
O vocativo serve para evidenciar a pessoa ou coisa a que nos dirigimos e deve sempre estar separado por vírgula.
6
O Dicionário Houaiss distingue semanticamente as locuções adverbiais A TEMPO e EM TEMPO: a tempo: no momento oportuno (ex.: “viajou a tempo”); em tempo: expondo-se a; correndo o perigo de. Assim, a frase acima deveria ter sido escrita com o uso da preposição A (chega a tempo).
7
O verbo HAVER, indicando decurso de tempo, é impessoal e deve permanecer na terceira pessoa do singular. Como a frase está no passado, a flexão de tempo é obrigatória (havia muito tempo).

 

cropped-header-blog_branco.png

O quinto compromisso

 

capa
O quinto compromisso, lançado pela Best Seller em 2010 e escrito por Don Miguel Ruiz e Don Jose Ruiz, retoma os ensinamentos dos antigos toltecas que oferecem a possibilidade de uma nova vida, repleta de felicidade genuína e amor: seja impecável com a sua palavra; não leve nada para o lado pessoal; não tire conclusões; sempre dê o melhor de si; seja cético, mas aprenda a ouvir.
1
NELA é contração da preposição EM mais o pronome pessoal ELA e, na frase acima, se refere a MÃES, substantivo feminino plural, de forma que também deveria estar no plural (nós acreditamos nelas).
2
Aprendemos que o pronome LHE substitui o objeto indireto dos verbos.  MACHUCAR é verbo transitivo direto (machucamos alguém), e deve ser acompanhado, portanto, de objeto direto (machucá-lo). Ainda que o uso do LHE no lugar do objeto direto seja comum, na oralidade, devemos evitar essa substituição.
3
No sentido de acompanhar para ensinar o caminho, GUIAR é verbo transitivo direto e, portanto, deve ser acompanhado por objeto direto. O pronome LHE substitui o objeto indireto (que o guiam).
4
Quando escrevemos, devemos fazê-lo utilizando uma única pessoa (segunda ou terceira). O uso simultâneo de pessoas distintas empobrece o texto (uma vez que você vê que nada do que os outros dizem ou fazem tem a ver consigo). Ainda, os verbos REJEITAR (no sentido de não aceitar), ATINGIR (significando acertar, alcançar, conseguir, obter) e AFETAR ( como ferir, atingir, lesar) são transitivos diretos e não devem ser acompanhados do pronome LHE.
5
Quando o sujeito é formado por “cada um de” seguido de qualquer expressão no plural, o verbo deve ficar no singular (cada um de nós tem uma mensagem que transmite).
6
SEQUER quer dizer ao menos, pelo menos, e é uma palavra usada com frequência em frases negativas, e pode também ser utilizada em sentenças de sentido positivo. No entanto, apesar de ser comum em frases negativas, SEQUER não tem por si mesmo significado negativo. Assim, são incorretas as frases que aplicam o advérbio com ausência da negativa NÃO ou NEM.
8
O verbo CONHECER significa ter ideia, saber, ter experiência ou prática, e é transitivo direto e, portanto, não se acompanha do pronome LHE (todo mundo o conhece).
9
PERCEBER quer dizer adquirir conhecimento sobre alguma coisa pelos sentidos e também é transitivo direto (ninguém o percebe).
11
GOSTAR significa ter afeição, ter o hábito ou costume e é verbo transitivo indireto (gostamos de alguma coisa). Assim, o correto no excerto acima seria estiver consciente daquilo de que gosta.
13
Verbos com mesma transitividade, mas que devem ser acompanhados de preposições distintas, não devem compartilhar o mesmo objeto. CONCORDAR pede a companhia da preposição COM; DISCORDAR deve ser seguido de DE (concordar com o que elas dizem; discordar do que elas dizem). Ainda, o pronome ELAS está se referindo a OS OUTROS (os outros estão sempre tentando chamar sua atenção, porque assim eles podem passar qualquer informação).

 

cropped-header-blog_branco.png

Por quê?

capa
Lançado em 2012 pela Editora Saraiva, Por quê?, de Simon Sinek, é um livro sobre as razões que levam as pessoas a fazerem certas escolhas. Se sua motivação é genuína, ela certamente vai atrair gente que pensa da mesma maneira, e essa é a beleza da ideia.
1
A palavra MORAL pode ser, dependendo do contexto, um substantivo comum do gênero feminino (normas de conduta e princípios, bem como a conclusão e propósito de alguma coisa) e em outras um substantivo comum do gênero masculino (estado de espírito). No caso acima, o sentido é estado de espírito e, portanto, deveria estar acompanhada de artigo no masculino (no primeiro grifo) e adjetivo (no segundo).
2
CAUSA é substantivo feminino. Como os adjetivos devem sempre concordar em gênero e número com os substantivos a que se referem, o correto seria ACULTURADO, que é adjetivo, também estar (a causa se tornou tão aculturada).
3
O verbo DAR significa ceder de graça, conceder, oferecer e é transitivo direto e indireto (damos alguma coisa a alguém). O objeto direto do verbo na frase acima é PODER; assim, o objeto indireto é INDIVÍDUO, cujo artigo deveria ter sido antecedido da preposição A (dar ao indivíduo).
4
O verbo deve ser conjugado de acordo com o sujeito a que se refere. SEUS MODELOS é sujeito da frase e está no plural; o verbo TORNAR-SE, assim, deveria ter sido conjugado no plural (seus modelos de negócio se tornaram).
5
Não se deve separar sujeito (cobradores) de predicado (usavam) por vírgula (cobradores usavam).
6
Nomes também possuem regência, como já falamos por aqui. CAPACIDADE é substantivo que deve ser sempre acompanhado de preposição, que pode ser DE, PARA ou EM (a capacidade de serem bem-sucedidas).
7
No primeiro grifo, o pronome pessoal do caso reto ELAS se refere a SUCESSO e deveria estar no singular e no masculino (embora desfrute do sucesso, ele não é motivado por ele). No segundo, MESMOS diz respeito a PESSOAS, e deveria estar no feminino (inspira as pessoas à sua volta a fazerem grandes coisas por si mesmas).
8
Apesar de ciclo e círculo serem palavras de mesmo sentido etimológico, a expressão legitimada na língua portuguesa é CÍRCULO VICIOSO.
9
SEQUER quer dizer ao menos, pelo menos, e é uma palavra usada com frequência em frases negativas, e pode também ser utilizada em sentenças de sentido positivo. No entanto, apesar de ser comum em frases negativas, SEQUER não tem por si mesmo significado negativo. Assim, são incorretas as frases que aplicam o advérbio com ausência da negativa NÃO ou NEM.
10
A conjugação do verbo PROVAR na terceira pessoa do plural do presente do subjuntivo é PROVEM. PROVÊM é conjugação do verbo PROVIR na terceira pessoa do plural do presente do indicativo (marcas que provem).

cropped-header-blog_branco.png

O extraordinário

capa
Se você busca um pouco de emoção, Extraordinário é seu livro. A história de Auggie (contada por ele e por personagens importantes em sua trajetória) e sua família é sensível e comovente.
Caso goste de livros que acabam indo para o cinema, também ele é uma boa pedida: com Julia Roberts, Owen Wilson e Jacob Tremblay no elenco, a adaptação do livro de R. J. Palacio foi lançada em 2017 nos EUA. Sem esquecer que Sônia Braga também está no filme, fazendo o papel da avó de Auggie!
1
Cacofonia é um vício de linguagem comum na língua portuguesa, e acontece quando uma palavra ou sílaba, em união com outras, forma expressões com sons desagradáveis ou ambíguas.
5
Ano-Novo, com hífen e maiúsculas indica a festa de passagem de ano, ou seja, o Réveillon. A palavra ano-novo, com hífen e minúsculas, indica o ano que começa, bem como o primeiro dia do ano. A expressão ano novo, sem hífen e minúsculas, indica um ano que é novo, sendo o contrário de ano velho.
7
O vocativo é aquela palavrinha ou expressão usada para chamar, invocar ou interpelar alguém. Pode ser nome próprio, substantivo que designe a forma carinhosa que utilizamos para nos referir a um ente querido. Ela sempre deve ser separada do restante da oração a que se refere por vírgula. SEMPRE (sim, senhor, senhor).
8
ORBITAR no sentido de descrever órbita, percorrer trajetória circular em torno de algo, é transitivo direto (… planetas que orbitam o sol).
9
PORQUÊ (junto e com acento circunflexo) é substantivo e deve ser antecedido de artigo. Na frase acima, a ideia é questionar o motivo ou razão de alguma coisa, numa frase antecedida por um ponto final. Deveria ter sido utilizado, portanto, POR QUÊ, separado e com acento circunflexo.
10
O verbo CHEGAR, com sentido de movimento, é transitivo indireto e pede a preposição A, embora na fala seja bastante comum a utilização da preposição EM.

cropped-header-blog_branco.png

Em nome dos pais

capa
Em nome dos pais, publicado pela Intrínseca, conta a história da prisão e da tortura dos jornalistas Míriam Leitão e Marcelo Netto. Matheus Leitão, filho do casal e também jornalista, conviveu desde sempre com as conversas relacionadas à militância de seus pais pelo PC do B. O livro trata de uma parte específica da história do Brasil, com detalhes acerca da Ditadura, que, apesar de bem duros, devem ser lembrados.
1
Centro da cidade é expressão que designa a área urbana ou parte central de bairro ou cidade onde se concentram atividades comerciais, burocráticas e de serviços. A não ser que inicie uma frase, deve ser escrita com inicial minúscula. O vocábulo CENTRO, referindo-se a bairro, é escrito com a inicial maiúscula.
2
O verbo CHEGAR, com sentido de movimento, é transitivo indireto e pede a preposição A, embora na fala seja bastante comum a utilização da preposição EM.
3
O verbo HAVER, indicando decurso de tempo, é impessoal e deve permanecer na terceira pessoa do singular. Como a frase está no passado, a flexão de tempo é obrigatória (onde estudava medicina havia quatro anos).
7
APENSO é documento, nota etc. que se apensa, anexa a uma obra; anexo, suplemento. É um substantivo masculino que deve ser escrito com inicial minúscula.
8
Blitz é palavra estrangeira dicionarizada e reconhecida pelo Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, razão por que não deve ser grafada com itálico, inicial maiúscula ou qualquer outro tipo de destaque.
5
ENTRAR, no sentido de passar ou ir de fora para dentro, é verbo transitivo indireto e deve em regra ser acompanhado da preposição EM (proibida a entrada de animais nos aposentos). A construção ENTRAR A é, de acordo com Celso Luft, circunscrita à linguagem literária, sobretudo lusitana.

cropped-header-blog_branco.png

Mulheres inteligentes, relações saudáveis

capa
Neste livro, lançado em 2014 pela Editora Academia, Augusto Cury identifica os tipos de mulheres, e os respectivos comportamentos, e tenta nos ajudar a identificar os erros que cometemos nas relações, com conselhos sobre transformar atitudes e como manter uma relação saudável por meio do controle dos pensamentos e das emoções.
1
Uma das figuras de linguagem que aprendemos a usar na época do colégio foi a chamada elipse, que acontece quando há a substituição pela vírgula de um termo que pode ser subentendido no texto. No caso acima, faltou o verbo SER conjugado ou a vírgula o substituindo (nem as cicatrizes, seu algoz OU nem as cicatrizes são seu algoz).
4
O texto deve ser escrito com a utilização de uma única pessoa (segunda ou terceira). O uso simultâneo de pessoas distintas empobrece a narrativa (alguém que a machucou se tornou inesquecível para você?).
3
Na frase acima, o sujeito da frase é uma mulher. O correto deveria ser SUA DONA (sentia-se sua dona, não sua amante).
7
O sujeito da frase acima é GRUPOS DE JANELAS SOLITÁRIAS. O verbo REPRODUZIR deveria concordar com o sujeito plural (reproduziam).
6
CONHECER e TRATAR são verbos com transitividade distinta. CONHECER é transitivo direto, enquanto TRATAR, indireto. Quando isso acontece, cada verbo deve ser acompanhado do objeto que lhe convém. Os objetos só devem ser compartilhados pelos verbos quando estes tiverem a mesma transitividade.
10
Os nomes e expressões também têm regência. TER CONSCIÊNCIA pede a companhia de preposição DE ou SOBRE.
12
O verbo ATRAIR conjugado na terceira pessoa do presente do subjuntivo assume a grafia ATRAIA (que ele/ela atraia). ATRAÍA é o sua conjugação na terceira pessoa do pretérito imperfeito do indicativo.
13
O sujeito da frase acima, UMA REVISÃO, é feminino. O adjetivo deve concordar com o substantivo a que se refere (é necessária uma revisão).

cropped-header-blog_branco.png

A coragem de ser imperfeito

capa
Se você tem vergonha de alguma coisa, coloque A coragem de ser imperfeito na sua lista dos livros a serem lidos em 2018. Com uma linguagem acessível e sempre pronta a dar um puxão na orelha do leitor, Brené Brown fala com propriedade acerca de tudo o que deixamos de fazer por vergonha de expor nossa vulnerabilidade. Num mundo como o nosso, em que há muita exposição e muitos dedos em riste para apontar falhas alheias, estar preparado para não dar a mínima ao que os outros pensam é uma habilidade necessária.
3
O verbo CULPAR, no sentido de acusar de culpa, é transitivo direto (quem devemos culpar) – pág. 26.
1
O verbo CHEGAR, com sentido de movimento, é transitivo indireto e pede a preposição A (chegou à casa).
2
A locução adverbial de tempo deve concordar com o verbo a que se refere. Quando nos referimos a uma situação que ocorreu no passado distante, o pronome da locução deve ser AQUELE (àquela altura) – pág. 47.
5
Dentre é contração das preposições DE + ENTRE e deve ser utilizada com verbos que indicam movimento e devam ser acompanhados da preposição DE.
6
AGRADECER significa mostrar-se grato e é verbo transitivo direto e indireto (agradecer alguma coisa a alguém). O pronome oblíquo LHE substitui objeto indireto, assim como a preposição POR indica a existência de objeto indireto.  O correto na frase acima seria posso agradecer sinceramente por seu empenho ou posso lhe agradecer sinceramente seu empenho.
4
PREOCUPAR-SE quer dizer inquietar-se e é verbo que pede objeto direto preposicionado (preocupar-se com/de/em) – pág. 169.

cropped-header-blog_branco.png

 

 

Dropz

capa
Dropz é o livro de crônicas de Rita Lee. São 61 textos, escritos de maneira lúdica e imaginativa. Foi lançado em 2017 pela Globo Livros.
1
Quando queremos dizer que nos empenhamos com insistência ou intransigência para obter algo, utilizamos a expressão FAZER QUESTÃO DE, com a preposição.
2
Água é definida como sendo substância líquida e incolor, insípida e inodora, essencial para a vida da maior parte dos organismos vivos e excelente solvente para muitas outras substâncias. Não se trata de fenômeno e também não é possível afirmar que qualquer espécie surgiu dela.
3
15% do que costumava receber não significa aumento (a sentença faria mais sentido se estivesse escrita da seguinte forma: necessário aumentar em 15% o que costumava receber).
5
Acima deveria ter sido usada a locução adverbial EM VEZ DE, pois AO INVÉS só deve ser utilizado quando se tratar de ideias opostas. Lembrete importante: essas expressões não são sinônimas. Ainda, OUTRA COISA é expressão feminina e o adjetivo que lhe faz referência também deveria estar no feminino (outra coisa que deveria ficar CLARA).
6
Acima, temos um erro deveras comum, relativo ao verbo LEMBRAR-SE (que é reflexivo e pede a preposição DE) e em seguida uma frase que certamente pode ser traduzida por MUITO ANTES DE TER SIDO MUTANTE. O terceiro erro é relativo à expressão AO LÉU, que significa AO ACASO.
11
RECORDAR significa lembrar de novo, fazer vir novamente à memória, e é transitivo direto (recordar os bons tempos).
12
ATREVER-SE, no sentido de arriscar, é verbo transitivo indireto e pede preposição (A, DE, EM) (ninguém se atreveria A interromper).
13
SIMPATIZAR não é verbo reflexivo. É, por outro lado, transitivo indireto (simpatizar com). Como bem lembra Celso Pedro Luft, em seu Dicionário de regência verbal, “na linguagem coloquial, tb ocorre simpatizar-se com…, decerto por analogia com agradar-se, dar-se. Evite-se na linguagem culta.”
18
O primeiro erro da foto diz respeito ao verbo INFRINGIR, que significa transgredir, violar. Deveria ter sido utilizado o INFLINGIR, que quer dizer impor, aplicar (alguma coisa a alguém). O segundo é referente à preposição que deve acompanhar a expressão BEM-VINDO, que deve ser acompanhada da preposição A.
21
O verbo PREFERIR significa dar preferência a alguma coisa, e quem prefere prefere uma coisa A outra. A sintaxe PREFERIR MAIS é comum na oralidade, mas não deve ser aplicada na linguagem escrita.
22
Sair significa passar do interior para o exterior (ir de dentro para fora). “Sair fora” é exemplo clássico de pleonasmo vicioso ou redundância (trata-se de repetição inútil que deve ser evitada).
23
O plural de extrema-unção é EXTREMAS-UNÇÕES.

cropped-header-blog_branco.png

O advogado 

 

o advogado
O advogado, de John Grishan, foi publicado em 2015 pela Rocco e conta a história de Michael, um advogado que, após ser feito refém, resolve mudar seus planos de futuro. É mais do mesmo do autor, que conta basicamente a mesma história em todos os livros.
3
O verbo HAVER, indicando decurso de tempo, é impessoal e deve permanecer na terceira pessoa do singular. Como a frase está no passado, a flexão de tempo é obrigatória (havia anos, não eram lavados nem cortados).
1
A palavra “onde” nesse fragmento funciona como pronome relativo (equivalente a “na qual”) e é o conectivo que introduz a oração subordinada adjetiva. Nesse tipo de estrutura, a próclise é o melhor caminho – além de ser o que preconiza a norma culta, é a construção mais espontânea no Brasil (onde se podia criar) – pág. 48.
2
PRECISAR, no sentido de carecer ou necessitar, é transitivo indireto e pede preposição DE (sem dúvida tinha pagado por tudo de que nós precisávamos) – pág. 60.
o advogado(1)
QUANDO pode ser conjunção, advérbio ou pronome relativo e, em regra, refere-se a um determinado momento no tempo. O autor fala sobre fatos simultâneos, razão por que deveria ter sido utilizada a conjunção ENQUANTO (ouvimos as vozes enquanto subíamos os degraus) – pág. 250.
5
O verbo CHEGAR, com sentido de movimento, é transitivo indireto e pede a preposição A (meu voo chegou ao Nacional) – pág. 268.

cropped-header-blog_branco.png